Make your own free website on Tripod.com

Texto: O Senhorio e o Campesinato

O Sistema Feudal

Home | O Feudo | A Nobreza e a Cavalaria | Igreja Católica | Saiba Mais | Imagens | Livro de Visitas

                             O Senhorio e o Campesinato
 
A força política dos senhores feudais, que se sobrepunha o poder real, residia no domínio do seu próprio feudo e no monopólio da força ou do poder militar. Cada feudo possuía seu exército, composto principalmente pelos cavaleiros nobres, que eram guerreiros regulares, e por servos convocados, se houvesse necessidade de reforço.
 
A cavalaria medieval era um grupo profissional de guerreiros de elite e celebrada por seus rituais de honra, lealdade e heroísmo. Ser cavaleiro era ambição de todos os jovens nobres, que, para receberem tal título, deveriam passar por um grande processo de preparação.
 
Na estrutura física do feudo prevalecia a divisão em três partes básicas: o feudo senhorial, onde ficava o castelo com terras de uso exclusivo do Senhor; os feudos servis, compostos por vários lotes, chamados tenências, entregues aos servos; e os feudos comunais, compostos por bosques e pastos usados tanto pelo senhor tanto pelos servos.
 
Toda a economia do mundo feudal era baseada nas atividades agrícolas, realizadas, na sua quase totalidade, pelos servos. Para facilitar sua tarefa e possibilitar uma melhoria na produção , uma série de inovações tecnológicas foram desenvolvidas na Idade Média. Para evitar o rápido esgotamento da terra, fonte de sobrevivência dos feudos, adotou-se o sistema de rotação das culturas, alternando o plantio de diferentes produtos agrícolas de forma não esgotar o solo.As águas dos rios foram represadas e usadas como força motriz de moinhos, assim também como os ventos dos moinhos de vento
 
O ferro substituiu a madeira na confecção das partes mais exigidas das enxurradas e dos arados. A força animal foi mais bem aproveitada, desenvolvendo-se a canga para os bois e o peitoral para os cavalos. Assim, econômica e militarmente fortes, os senhores feudais detinham também o controle político local, constituindo-se o único poder efetivo durante a Idade Média, garantindo seus interesses e privilégios e anulando quase inteiramente o poder do rei.